Milhares colorem a avenida Atlântica na Marcha pela Diversidade de BC

Caminhada levou multidão para a principal avenida da cidade

   
Karinah e Tchaka comandaram a Marcha da Diversidade de BC(Foto: Franciele Marcon)

“A Marcha da Diversidade de Balneário Camboriú já nasce histórica. Ela mostra para a sociedade que nós somos, existimos e resistimos, e vamos continuar ocupando todos os espaços. Conservadores querendo ou não, nós passaremos com o nosso orgulho”. Com essa mensagem, Tchaka Drag Queen, apresentadora oficial da Marcha pela Diversidade de BC, saudou os cerca de 10 mil participantes da caminhada que coloriram a avenida Atlântica, da praça Almirante Tamandaré até o Pontal Norte, na tarde deste domingo.

Tchaka e a madrinha do evento, a cantora Karinah, ficaram sobre um dos trios elétricos animando a caminhada pela orla. “Ser a madrinha de uma Marcha tão especial e importante é mais do que minha obrigação como artista, como mãe e mulher… Estou aqui disposta a fortalecer sempre esse lado mais frágil da sociedade. É importante lutar pela inclusão, pela liberdade e dignidade de cada um, pelo direito de ir e vir. A gente precisa olhar para a mesma direção e acolher. Eu peço para que a sociedade abra o coração, acolha as Mães da Diversidade, os adolescentes. Eu estou aqui feliz demais, mas é uma luta constante…”, explicou a madrinha.

As duas estrelas da Marcha conversaram com o público, cantaram, dançaram, tiraram fotos e desceram do trio elétrico para desfilar junto à bandeira multicolorida que é o símbolo da comunidade LGBTI. O público curtiu a interação, participou e aproveitou também para tirar “selfies” com as celebridades.

Karinah e Tchaka desfilaram na orla (Foto: Franciele Marcon)

Participação

“Estamos bem felizes com o resultado. A nossa primeira Marcha da Diversidade está mais linda, colorida e com esse público maravilhoso. É um marco, é uma de muitas marchas que virão, cada vez mais forte e resistente”, disse Néia de Jesus, uma das organizadoras do evento e integrante do coletivo Mães pela Diversidade.

Além da mudança de nome para Marcha da Diversidade, outra mudança significativa foi o fato de a prefeitura de BC ter liberado o alvará para o evento sem a necessidade de interferência judicial, como ocorreu em anos anteriores, quando os organizadores precisavam recorrer à Justiça para ter o direito de realizar o evento.

Se o nome é novo, os participantes se mantêm fiéis e seguem engajados na busca por reconhecimento. “Eu participo todos os anos. Esse ano me casei com o meu marido, após vivermos juntos há 30 anos. Somos empresários e estamos lutando pelos nossos direitos, porque somos pagadores de impostos. A Marcha está maravilhosa. Temos direito à cidadania, à união estável e aos direitos civis…”, disse o empresário Carlos, que é casado com Orli.

O empresário Carlos se casou com Orli após 30 anos de união estável (Foto: Franciele Marcon)

Também teve quem veio conhecer a Marcha. “A gente achou que tinha menos gente, mas tem bastante. Tinha ouvido falar que as pessoas dos prédios não gostavam muito, mas estão curtindo e estão aproveitando também”, contou Vanila, drag que veio de Floripa para participar da Marcha de BC pela primeira vez.

Grupo da drag Vanila veio de Floripa pra curtir Marcha em BC (Foto: Franciele Marcon)

O jornalista Danilo Duarte, que recentemente lançou o site especializado Floripa.LGBT, ao lado do marido, o turismólogo João Paulo Pereira, também veio prestigiar a Marcha em BC.

“A Marcha da Diversidade reforça o que todo mundo sabe: BC tem uma comunidade LGBTI muito forte, e a gente precisa dar visibilidade. Nós existimos durante o ano inteiro, por isso é importante mostrar força. A gente quer respeito aos nossos direitos, porque nós fazemos parte da sociedade. Tudo que a gente quer é que consigamos mostrar a nossa potência…”, comentou.

Jornalista Danilo Duarte mantém site especializado em Floripa (Foto: Franciele Marcon)

Projeto da Semana da Diversidade deve ir à votação

O vereador Eduardo Zanatta (PT), que participou da Marcha, protocolou em setembro o projeto de lei para oficializar a Semana da Diversidade no calendário de Balneário Camboriú. O objetivo é garantir a livre manifestação da comunidade LGBTQIA+, além de fomentar ações educativas que incentivem o respeito à identidade de gênero. A Semana da Diversidade abrigaria eventos como a Marcha Pela Diversidade. “O projeto está pronto para primeira discussão e vou solicitar ao presidente da câmara que paute na próxima semana”, informou Zanatta ao DIARINHO, contando que o projeto já recebeu o aval de todas as comissões e já pode ser votado.

Vereador Eduardo Zanatta do PT protocolou projeto pra criar a Semana da Diversidade (Foto: Franciele Marcon)

Um projeto semelhante tinha sido apresentado pela educadora Marisa Zanoni (PT), na época que ela foi vereadora em BC. Marisa também esteve presente na Marcha e comemorou o fato de que este ano a prefeitura liberou o alvará sem necessidade de decisão judicial. “Cada vez mais é preciso fazer pressões para que não precisem de decisões judiciais para esse fim. A gente está feliz com esse pequeno avanço. A luta é árdua, ela precisa continuar, porque o evento precisa estar no calendário e ser uma atividade que a prefeitura apoie”, explica.

“Quando eu fui vereadora, protocolei um projeto para que a parada estivesse no calendário oficial, para que a gente tivesse a Semana da Diversidade com atividades educativas. Agora o vereador Eduardo Zanata reapresentou esse projeto e a gente espera que os vereadores possam aprová-lo. Essa é uma causa de vida, uma causa de todos nós”, completou.

Tagged , . Bookmark the permalink.